• Telma Miranda

Vamos brincar?


“Lutei para escapar da infância o mais cedo possível. E assim que consegui voltei correndo pra ela” — Orson Welles.


Há uma ideia de que a infância é um período maravilhoso: sem responsabilidade, só brincadeiras e abraços de primos. Mas muitos sentem desconforto ao lembrar desse período: ou porque tem memórias dolorosas ou porque sente que este período lhe foi negado. Crianças, cuja infância lhes foi roubada ou dolorosa, precisam — para se tornarem adultos saudáveis — aprender a brincar. Sim. Aprender a brincar: acreditar, rir, levar a sério sabendo que nem tudo se leva a sério, experimentar e perceber o mundo através do corpo. Aprender a brincar é aprender a viver, a construir uma vida pra viver de forma mais alegre e responsável (sabendo que nem tudo é tão sério assim). Aprender a brincar é estabelecer laços afetivos: é sair correndo para o mundo (encontrar os amigos, realizar um trabalho gratificante) e voltar correndo para casa (com saudade daqueles que esperam por você).


Clínica Contemporânea aposta nessa “brincadeira”.

Vamos juntos aprender a brincar?

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tempo